22 junho 2006

COISA DE GORDO - 277

277-Bussunda
A morte do Bussunda, celebridade nacional, traz à tona aquelas velhas e conhecidas pendengas que nós, sociedade, temos com nossa saúde. Foi um choque para a nação. Num ambiente festivo, como é o da Copa do Mundo, onde cintilam estrelas, público, jornalistas de todo mundo, o que menos se espera é isso. Alguém morrer. De morte súbita. Estamos acostumados com coberturas jornalísticas engraçadas, entrevistas insistentes, perguntas impertinentes, gols e mais gols, apostas e recordes. De fato, morrer em meio a isso meio que "estraga a festa".
Ali estava representado um brasileiro. Um gordo brasileiro! Bonachão, gozador, torcedor fanático do Flamengo, era dos primeiros a tirar sarro da cara dos gaúchos com aquela história de que aqui só tem "viado". Sim, o Bussunda nos classificava como "viados".
E acima de tudo, ali estava representado um GORDO autêntico. Mais preocupado em comer e degustar as coisas boas da vida, era garoto-propaganda da Cerveja Antarctica que agora se vê às voltas com essa armadilha que lhe surgiu pelo caminho. Tiveram que tirar as imagens dele do ar, onde aparecia ao lado da Juliana Paes incentivando o consumo de cerveja. Poderia o público fazer uma estranha ligação da morte dele com o consumo de cerveja Antarctica. Nesse mercado selvagem, é proibido morrer! Pois o Bussunda morreu!
E sendo ele um gordo autêntico lembro que nunca tanto se falou em caminhadas, dietas, vida ativa, colesteróis. As capas das revistas semanais se dividem entre falar do Código Da Vinci, coisas de Jesus e dos Espíritos, e dietas novas para baixar o colesterol. É um tema que pulula na mídia. Não causa estranheza a ninguém ver qualquer pessoa, seja que hora do dia for, caminhando de tênis e short pelas ruas da cidade, em academias, etc. Pois mesmo assim... o Bussunda morreu!
Disseram que ele estava em acompanhamento com um cardiologista (e estava), fazia exames, mas sem adentrar intimidades de sua vida médica, imagina-se que ele não realizou grandes mudanças em sua vida, a ponto de sobreviver. Mesmo estando em acompanhamento médico, parecia ter uma vida pouco regrada, repleta de viagens, noites mal-dormidas em hotéis, alimentação de viajante. E nada de fazer aquela caminhada de quarenta minutos, três vezes por semana. Ora, bater bola em pátios de hotéis não supre isso! Jogar aquela "pelada" semanal, regada a cerveja e churrasco, não significa ter atividade física. Ao contrário! É mais risco ainda! Pois talvez por isso tudo...o Bussunda morreu!
Volto anos atrás, em nossa pequena cidade de Santo Antônio, quando uma gigantesca consternação se abateu sobre a comunidade, por força da morte de um amigo de todos, uma pessoa jovem de seus "quarenta e algos" anos, que se entregava a uma vida profissional estressante, fumava e dava um leve combate em copos de uísque. Foi uma comoção! No mesmo momento do velório, um amigo nosso que é Cardiologista, atendeu já alguns amigos e conhecidos do que morrera,que imediatamente se sentiram mal, achando que iriam também morrer! Não morreram ali. Nos dias seguintes, metade da cidade começou a caminhar enquanto a outra metade foi fazer exames de sangue e teste de esteira. Puxa, pensei, agora a coisa vai! Amigo(a), menos de um mês depois tudo já havia sido esquecido, todos voltaram a fumar, dependuraram os tênis atrás do armário, voltaram às suas vidas estressantes e nada mudou. De lá para cá, muitos morreram. Também por isso, em nível global, o Bussunda morreu!
O que se quer aqui? Não, não é criticar nem cobrar nada de ninguém, até porque, meu IMC não permite grandes iniciativas minhas nessa área. Não tenho moral para falar de gordos. Mas posso falar, SIM, de se tentar mudar algumas coisas em nossas vidas. Uma dieta mais equilibrada já é um bom começo. A indústria dos light e diet tem ajudado bastante. O mesmo em relação às gorduras, onde se tem preferido os "óleos vegetais interesterificados". O leite já pode ser desnatado. A caminhada, amigo(a), pode ser começada sim, mesmo com o frio. Na parte da vida profissional, convivo com pessoas que se entregam a trabalhar, enriquecer e nada mais. Quando se sabe que é possível, na maioria dos casos, dar uma puxadinha no freio de mão. Ninguém vai morrer se não fizermos esse ou aquele trabalho. Há outras pessoas para nos substituir.
Enfim, o Bussunda morreu, e por ver nessa morte a repetição de uma novela a cujos capítulos venho assistindo a anos e anos é que insisto: - Vai caminhar, cara! Vai caminhar!
Silvano - o impossível - com sensação de pé na cova


TEM COISA PIOR.....
...numa Copa do Mundo do que ver o treinador manter em campo os "dinossauros" do futebol brasileiro, entre gordos e velhos, só porque eles já foram campeões, enquanto os craques ficam sentados no banco de reservas? Não, não tem. Eu, o Juninho Pernambucano, o Robinho e o Cicinho sabemos do que eu tô falando.


COMO ESTRAGAR UM FILME DO MEIO PARA O FIM
Essa foi a sensação que tivemos ao ver no DVD o badalado KING KONG. Gente, de Deus! O filme vinha super-bem tramado, um cast de atores dos mais conhecidos, interpretações consistentes, com direito a pequenas tramas emocionais paralelas. Senão, vejamos. Uma atriz de "vaudeville" que, fracassada nos palcos, se vê forçada a buscar alternativas na arte nascente do cinema. Um diretor desastrado e devedor, mas ousado a ponto de sair numa gigantesca empreitada. Um marinheiro criado desde criança dentro de um navio, tendo como pai o "imediato" da embarcação, numa relação que se situava entre paternal-filial, mas com outras possibilidades. Uma ilha paradisíaca, onde apareceu uma impressionante tribo indígena, com ares de espíritos desencarnados que habitam as zonas mais baixas do Umbral. E, claro, havia o Gorila Gigante que todos esperávamos. Até aí tudo bem, eu estava positivamente impressionado com o filme, fiquei preso diante da tela, degustando. Isso tudo veio bem até que......ENTRARAM OS DINOSSAUROS!! Leitor(a) de Deus, que danação! Que erro grosseiro de roteiro. O filme deu uma guinada e passou a mostrar as presas do Tiranossauro Rex e as corridas do Velociraptor. Fiquei desconfiado que eles tavam com aqueles bichos ociosos nos depósitos do estúdio, e resolveram aproveitar. Misturar King Kong com Dinossauro, "nem a pau, Juvenal". Não perca seu tempo.


22/06/2006

9 comentários:

patrulhenseinovando disse...

Oi Silvano te achei

patrulhenseinovando.blogspot.com disse...

Oi Silvano tô apanhando o patrulhenseinovando é o nome do meu blog que criei no Curso de Tecnologias que nós professores estamos fazendo. Só que na hora de enviar deu zebra.
Não é zebra o povo está chegando e está feliz que o Brasil ganhou.

Silvia disse...

Oi Silvano achei muito legal o teu blog.

Regina Maria disse...

Silvano, fazendo umpequeno comentário sobre "coisas de gordo"(277), realmente quando falece alguém conhecido as pessoas ficam todas apavoradas iniciam uma mudança de hábito, somente enquanto lembram do falecido, depois esquecem e voltam a fazer o que já fazima, mesmo sabendo que isto os prejudica.

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

I like it! Keep up the good work. Thanks for sharing this wonderful site with us.
»

Anônimo disse...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny