29 julho 2007

PROJETO PARA ATLETAS


PROJETO PARA ATLETAS
Tendo assistido a todo o transcorrer do Pan-americano que ora termina no Rio de Janeiro, tendo lido nos jornais e noticiosos a seqüência de escândalos financeiros que assolam a nação, ousei ter uma idéia que poderia ser aproveitada para as próximas competições. Dinheiro para isso existe, Renan Calheiros, Zé Dirceu e Waldomiro Diniz que o digam. Eis uma pequena síntese de meu, digamos assim, “projeto-lei”.
Ficaria estabelecido o seguinte. Todo atleta que ganhou uma MEDALHA DE OURO neste Pan receberia um salário, bolsa, chamem do que quiserem de 5.000,00 por mês. Serviria como um estímulo. Tal benefício teria a duração de quatro anos, até que houvesse de novo a competição. O benefício se aplicaria a atletas premiados em Olimpíadas e Pans. Tomemos um exemplo. O Frank Caldeira que ganhou a maratona passaria a receber este salário de 5.000,00. Poderia se manter treinando, comendo, vivendo. Quando chegasse o próximo Pan, se ele ganhasse OURO de novo, mais quatro anos de salário. Se não ganhasse ouro de novo, perderia o salário.
Você acha muito dinheiro? Então perceba que o Brasil conquistou apenas cinqüenta e três medalhas de ouro, perfazendo um valor hipotético de 250.000,00 por mês de despesa para o governo pagar. Tal soma, perto da fortuna do Calheiros, da fortuna que se despeja no Bolsa-família, que se desperdiça com os Sem-terra...é cafezinho. Ou seja, com muito pouco, se incentivaria muito. Chegando a olimpíada, isso se repetiria. E assim por diante. Só valeria para Olimpíada e PAN.
Amigo(a), a luta por medalhas se multiplicaria, psicologicamente haveria este estímulo extra que faria o atleta dar o máximo de si, para poder viver de seu talento. Esportes coletivos ficariam de fora disso (muitos atletas) e esportes de elite também (hipismo, vela, etc). No atletismo, medalhas conquistadas em grupo (revezamento 4 x 100 , etc..) gerariam o mesmo valor que seria dividido entre o grupo (1.250,00 para cada um dos quatro).
Pronto. Está dada a largada para que multipliquemos nossas medalhas de ouro! Basta redigir esse projeto-lei, aprovar, sancionar e premiar já estes atletas deste PAN. Isso funcionaria como um incentivo, dando a estes atletas o benefício, para que os futuros medalhistas já se sentindo impelidos, dessem a largada para suas preparações.
Certo, chamem um deputado federal qualquer e mandem bala!
Silvano – dentro do espírito atlético vigente

2 comentários:

Claudete disse...

Oi Silvano,boa tarde!
Costumo gostar das suas idéias mas dessa não gostei muito!
Primeiro porque atletas já tem patrocinio de marcas e academias e portanto preferiria dar uma mesada a um estudante bom que não tivesse dinheiro para pagar uma faculdade!
Desses que tem de trabalhar e estudar ao mesmo tempo,coisa impraticável dependendo da faculdade!Por exemplo a de medicina não dá para fazer mais nada a não ser estudar!Sei bem disso porque tenho dois médicos em casa!Você também sabe!
Outra coisa,a turma do jeitinho iria achar preconceito não dar mesada para os esportes ditos de rico e para os de equipe!
Ia virar bagunça,acho que não dá certo!
Com toda a falta de dinheiro no nosso país,o nosso presidente Lula 51,já disse que quer fazer aqui a Olimpíada.É de achar graça ou de chorar,não sei bem!
abraços
Claudete

Anônimo disse...

Ok, na onda de projetos de lei ousados também tenho uma proposta: após alguns anos na coordenação municipal de programas como o bolsa-família e SISVAN (sistema de vigilância alimentar e nutricional), e discutindo com um colega as reais implicações (benefícios e problemas) deste tipo de ação no país, chegamos à seguinte conclusão: o mais proveitoso para a nação seria a criação da "BOLSA ANTICONCEPCIONAL". Imaginem vocês, caros amigos, o governo federal pagando 50,00 por mês para cada família de baixa renda com mulher em idade fértil disposta a seguir um tratamento com anticoncepcional (via oral, injetável, vai saber?!?) até que fique diagnosticada uma gestação.
Quanto os pais não seriam mais zelosos com suas filhas (educando de verdade, se importando), quanto seria poupado combatendo a gravidez não-planejada (afinal, atualmente vale a pena ter mais 1 ou 2 filhos para aumentar a parcela do "Bolsa"), em quanto tempo seria melhorada a qualidade da educação no país, em quanto tempo acabaria a superlotação dos presídios???? Pois é, vai saber...

...talvez apenas mais um devaneio de um cara um tanto preocupado com o futuro!

Rodrigo