10 junho 2009

Ana Carolina - DVD Dois Quartos


Te olho nos olhos e você reclama
que te olho muito profundamente.
Desculpa...
Tudo que vivi foi profundamente....

Com essa frase marcante a cantora Ana Carolina dá abertura a uma dentre tantas belas músicas contidas no DVD de nome DOIS QUARTOS. Na verdade trata-se de uma produção do canal Multishow e traz as imagens e sons de um show ao vivo que ela fez em 24 e 25 de novembro de 2007 em São Paulo. Revivendo uma coisa que a Maria Bethania fazia trinta anos antes, ela ousa portanto declamar aqui e ali uma poesia. E esta que citei aí acima emoldura a música mais bela do DVD, aquela chamada É ISSO AÍ.
O DVD traz imagens lindas que a produção do referido show proporcionou ao público. O cenário é lindo, inspirado, as evoluções sobre o palco são perfeitas.
Numa certa altura um percursionista despeja jarras de água numa bacia para obter o som desejado, uma coisa assim meio Marisa Monte. O público se manifesta apaixonadamente o tempo todo, os gritinhos apaixonados das mulheres apaixonadas por ela são uma constante. Aliás, tem uma passagem engraçada. O coro feminino brada “Ana, eu te amo!” e os músicos entram com a melodia. Ai a artista levanta a música segurando os músicos e diz: - Deixa as meninas falarem! Ao que o público vem abaixo. E ela então continua.... “não se pode cortar um papo assim”.
Os arranjos são impecáveis, sem improvisações, tudo milimetricamente estudado e bem postado.
E aí se sucedem as músicas.
Muitos reconhecerão a QUEM DE NÓS DOIS com sua batida latina. É uma versão para a italiana La mia storia tra le dita.
Há sambas onde ela toca pandeiro e há sambas em que ela só canta.
Ela toca violão, toca piano, batuca, se desdobra.
O DVD é arte pura, os efeitos cênicos são lindíssimos.
E aí me entreguei ao deleite da faixa que causou a compra do produto. Trata-se da citada música É ISSO AÍ, uma versão da música THE BLOWER’S DAUGHTER. Já assisti à performance da Ana Carolina com o Seu Jorge no YouTube e é de se ir às lágrimas. Aqui neste disco ela canta sozinha, mas nem por isso perde força. Com sua voz tonitruante, sua força vocal descomunal, a artista alcança pontos e notas inimagináveis, levando-nos a curtir emoções raras.
O show vem vindo e lá pelas tantas ela entra com aquele texto ali do alto, pedindo desculpas por olhar tão profundamente. Li no encarte que o texto é livremente inspirado em obras do Fabrício Carpinejar e do Boris Pasternak. Ela declama o belo texto, como que anunciando ao nosso coração que a seguir vem coisa forte. Ato contínuo, senta-se ao piano e dedilha discretamente os acordes da música, inundando o espaço físico e afetivo do Teatro com sua canção. Vai tocando o piano e nos conduzindo numa viagem profunda de musicalidade, emoções, sentimentos. Quando se percebe, as lágrimas transbordam pelo peito e estamos ali, postados diante da tela da TV, espicaçados. Linda, linda, linda música. Linda interpretação. Linda cantora e sua linda voz. Um verdadeiro arraso.
Imperdível na sua coleção.
SILVANO – em lágrimas

1 comentários:

antonioanderson disse...

Gostei muito do seu Blog. Parabéns!

A música "É isso aí" é mais bonita do que você pensa!

Visita o meu se possível. Até mais.