10 outubro 2008

Coisa de Gordo - 397


397 – PESQUISAS ELEITORAIS
Passada essa onda toda da eleição municipal por este Brasil afora, podemos sentar olho sobre algumas coisas interessantes nesta área. Dia desses conversava com o Flavinho e ele me fez a pergunta que me deixou intrigado: - Para que servem as pesquisas eleitorais?
Ora, Flavinho, elas servem para....deixa eu ver...para que a gente....bom...deixa eu ver...sei lá.
de fato, não encontrei resposta a mim convincente. Ora, disse-me o Flavinho, se algum eleitor de Porto Alegre (o que não é o meu caso) quer votar na Vera Guasso, que ele vote na Vera Guasso! Ao ler as pesquisas nos jornais, o imaginário eleitor vai se sentir desestimulado, talvez queira fazer valer o VOTO ÚTIL, mude de voto em função das pesquisas.
Ah, mas o povo quer saber as tendências. Então, ó povo, vote em quem você quer e espere a apuração, aí teremos a tendência do eleitorado.
Impressionante, fui atingido pela idéia. Por que não proibir pesquisas eleitorais?
Vamos adiante: - A quem interessam as pesquisas eleitorais? Pois é, eu não sei bem. O mais perto que chego é que elas acabam drenando votos para os macacos velhos da política, as cartas marcadas desse jogo. Mas não me arriscaria a dizer que são uma espécie de conspiração. Acho que não vão a tanto. O que acontece é que as pesquisas foram chegando, chegando, se instalaram e acabam por ditar o resultado de muitas eleições.
E o pior é que a ladainha é sempre a mesma. O candidato que aparece na frente nas pesquisas alega que isso é o resultado do seu trabalho, da sua vida de honestidade e retidão, que o eleitor sabe votar muito bem, e que ele já esperava este resultado nas pesquisas. Sei, sei, me engana que eu gosto!
Do outro lado, o candidato que aparece atrás sempre acusa os institutos de pesquisa, que aquilo é uma farsa, que o partido dele realizou uma pesquisa particular que mostra o oposto, blá, blá, blá.
Para que se fazer pesquisa eleitoral?
Na última eleição para governador aqui no Rio Grande do Sul as pesquisas diziam que a luta era para ver quem iria para o segundo turno com o Governador Germano Rigotto, se era o Olívio Dutra ou a Ieda Crusius. Os institutos criaram esta expectativa e na hora do vamos ver o Germano acabou ficando de fora, passaram os dois que vinham correndo por fora. Tudo por causa das pesquisas. É bem verdade que neste caso elas nos prestaram um favor, mas reforço a idéia de que tiraram a espontaneidade do eleitor.
Para que se fazer pesquisa eleitoral?
Uma das raízes do problema é que os tais institutos de pesquisas são em geral ligados a conglomerados de comunicação, que faturam alto com elas. E que por certo esperneariam com uma eventual proibição. Ademais, o que aqueles comentaristas políticos todos ficariam fazendo até o dia da eleição, se não se fizerem as pesquisas? Nada, perderiam seus empregos. Lembra um pouco os caras do futebol que em dia de final entrevistam até a namorada do porteiro do prédio do massagista do Palmeiras. Pois as pesquisas dão combustível aos analistas políticos que vão, assim, moldado a cabeça do eleitor.
Enfim, para que se fazer pesquisa eleitoral?
Eu não sabia disso, mas o Flavinho me fez descobrir que sou contra. Azar o meu!
Silvano – o impossível


LEITOR MANDA MISSIVA INTERESSANTE
Ola Dr. Silvano, entrei em seu Blog e li muito rapidamente. Gostei do nome de seu blog e do conteúdo de seu site. Meu nome é Carlos e trabalho desde 1998 na internet o que me fez fazer parte do time dos gordos. Inclusive, nos últimos 6 anos engordei um quilo por mês, passando de pré-obeso para todas as categorias que a OMS criou e hoje me encontro na categoria máxima. E até brinco que eu não tenho barriga e sim recordações.... recordações de pizza churrascos cervejas... enfim, só lembranças boa. Só que é tanta coisa boa que ficou enorme a minha recordação (barriga). Mas resolvi escrever para o “Doc” não para falar como entrei no clube dos gordos e sim para contar que em meio às andanças de negócios na internet nos últimos quatro anos desenvolvi comércio eletrônico de produtos naturais e consulta on line com nutricionistas. Por causa disso acabei tendo contato com um numero enorme de gordos. Resumindo.... virei um gordo de peso e andei conversando com milhares de gordo e recentemente resolvi pensar a respeito....
Fato real, a obesidade é um problema, mas também...tantas coisas não são? O que será que mata mais obesidade ou stress vindo do trabalho e de um mundo competitivo? Enfim, concordo que ser gordo tem os seus problemas, mas também não é tudo isso. Para o senhor ter uma idéia, estou pensando em colocar psicólogos na minha empresa, além dos nutricionistas. O que aparece de gordo com baixa estima... Tudo por uma tremenda imposição de uma pseudo-beleza do mercado... E vamos e convenhamos, se uma pessoa é escolhida pela beleza física, com o passar dos anos essa pessoa irá perder a beleza. Agora, se for pela inteligência, caráter, etc, essas coisas com os anos só vão melhorar.
Por quê do meu contato? Eu estava pensando em montar um site ou portal a favor dos gordos. Não algo como existe hoje na Europa, fazendo a apologia do legal e estiloso da anorexia (sites assim estão tendo lá um crescimento avassalador que já está quase virando questão de saúde publica). Queria sim mostrar que gordo também é gente. E em geral gente muito boa, pois antes dessa ditadura de corpo perfeito, ser gordo sempre foi sinônimo de alegria e de ser uma pessoa de bem com a vida. Sempre houve ícones como Papai Noel, Rei Momo. Dona Benta, Tia Anastácia...enfim...sempre figuras boas e alegres. Hoje quando em um anúncio de empregos pedem boa aparência, não é a tanto a cor da pele que importa pois garanto que uma Naomi Campbel arrumaria um emprego por aparência na hora, mas uma Wilza Carla nunca.
Aí tem coisas gozadas. Negros têm cotas em faculdades, deficientes físicos têm cotas em empresas, idosos têm caixas e filas preferenciais. E no caso dos idosos teve ainda aqueles que usaram esse beneficio para comprar ingressos do show da Madonna para repassar aos cambistas.... Já os gordos.. Tem tanto preconceito quanto os outros ou até mais. Portanto, na minha cabeça, ou o povo pára de encher o saco dos gordos, de meter o pau nos gordos, e deixa cada um ser como gosta, ou então que nos dê umas vantagenzinhas..... Afinal “no inferno abrace o capeta”.
Brincadeiras à parte, gostaria de usar a mídia da internet para ser uma voz contra essa ditadura do corpo perfeito, e como já disse Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra. Minha pergunta é se o senhor acha boa minha idéia de ter um site não falando bem, mas sim mostrando que se pode ser gordo e ser totalmente feliz. Tanto com o próprio corpo quanto com a cabeça. Penso que na vida temos que buscar a amizade, a sabedoria, o encontro consigo mesmo, e não uma busca patética por um corpo perfeito. Será que sorvete, pizza e “churras” é tudo veneno? Caminhadas?...Eu pago aqui em Piracicaba um guri prá ele andar no meu lugar.
Nós interagimos com o mundo através dos sentidos e a comida mexe com todos eles, o tato, a visão, o paladar e o aroma. E após estar satisfeito, com a audição vinda de um belo e sonoro arroto. Portanto, xô com as dietas. E não tenha vergonha de ser feliz.
É evidente que minha idéia deste site tem um fundo monetário que seria vender camisetas e coisas do gênero para custear o projeto. E tem mais. Sabe que nos últimos seis anos nos quais engordei muito me mudei para o interior e roupa prá gordo em cidades pequenas é difícil. Daí pensei em trocar os produtos naturais de emagrecimento para roupas de gordo (se não pode com eles, junte-se a eles). Me desculpe pelo meu português horrível e por escrever um e-mail tão extenso e confuso. É coisa de empresário pontocom... Abraços.
Carlos Costa – New Solutions Comercial - Piracicaba


http://www.newsolutions.com.br/
*o site ainda está em construção aí neste endereço, mas aguarde que um dia abrirá.


RESPONDENDO AO TIJOLAÇO DO LEITOR
Carlos, me chama de TU ou VOCÊ, por favor. Obrigado pelo contato. A resposta à tua pergunta é a existência do meu BLOG, que justamente vem tentar aliar as coisas atinentes ao excesso de peso com uma boa visão da vida! Sim, todo gordo quer emagrecer, e me incluo nesta categoria, o que não me impede de rir um pouco durante a caminhada. Que eu não sei se vai ter fim. Muito obrigado pelo contato. Estamos esperando que o site fique pronto logo. Um abração. SILVANO
PS: o desenho ali ao lado do texto é meramente ilustrativo, não foi enviado pelo leitor.


10/10/2008

1 comentários:

Thiago Fonte disse...

Mau caro Silvano, com relação ao que foi comentado sobre as pesquisas eleitorais, quero registrar que sou contra qualquer tipo de proibição neste sentido. Veja bem, se o cidadão desiste de votar na Vera Guasso por causa de uma pesquisa, problema só dele. Talvez alguém desista de votar em algum candidato pelo corte de cabelo. Posso até achar que este não é o melhor critério para se escolher um candidato, mas quem sou eu para julgar os critérios de voto dos outros? Se alguém é contra as pesquisas, tudo bem, é só não deixar que elas influenciem seu voto. Ninguém é obrigado a levar as pesquisas em consideração na hora de votar. Faz pesquisa quem quer, responde pesquisa quem quer, divulga pesquisa quem quer, lê pesquisa quem quer e cada um vota em quem achar que deve, seja lá o critério de escolha que queira usar.
Grande abraço,
Thiago