04 outubro 2007

Coisa de Gordo - 344


344 – O FOMÃO
Depois de ter me aventurado na crítica literária, de ter me embarafustado pelas vielas sombrias da política brasileira, de ter sentado olhos e o resto do corpo diante da TV para analisar DVDs, esta semana recolho-me ao exame de algo menos cultural. Algo menos filosófico. Falemos do FOMÃO.
O que é o Fomão? Sem mais rodeios, esta gíria alude exatamente à palavra que lhe deu origem. Trata-se de uma fome muito grande. Mas o conceito vai além disso. O Fomão é uma coisa meio metafísica, eu acho. É um estado da alma, é uma predisposição, um conjunto de fatores que o levam a ter este tipo de reação. O Fomão. O Fomão segue-se a momentos de stress, de paixão, de perda, de sofrimento.
A pessoa acometida pelo Fomão age meio como um zumbi, vai empilhando fatias de pão de sanduíche, seguidas de copos de refri, depois ataca bolachas recheadas, lascas de panetone, restos do almoço que estava na geladeira, croquetes sacados minutos antes do freezer. Se a gente filmasse uma pessoa num acesso desses ela não se reconheceria. Que estranho.. – diria ela – tem certeza que sou eu? Com um Laka Branco numa mão e um Bauru na outra? Sim, é você mesmo.
Certa vez vi o Jô Soares dizer que gostava de levantar na madrugada e comer, eventualmente, um prato de feijão FRIO , com azeite de oliva por cima. Isso é o Fomão.
Mas afinal, você dirá, quais são as situações que fazem aparecer o Fomão? Como citei antes, a variedade é enorme, mas estudemos juntos algumas cenas bem comuns a todos.
CASO UM – Sua irmã ou cunhada que estava grávida rompeu a bolsa, a família toda foi acordada às duas da manhã, corre-corre para o hospital, macas, enfermeiras, anestesistas e outras coisas mais surgiram na sua noite de sono interrompida. O bebê nasceu às quatro da madrugada, festa, beijos, abraços, até que a poeira senta de novo. Mãe e bebê passam bem, é hora de ir embora e voltar no dia seguinte. Na volta para casa, você é atacado por ele, o Fomão. Um enorme vazio lhe surge na barriga, até roncos são ouvidos. Você é alertado pelo seu corpo e de repente se dá conta de que precisa comer “alguma coisa”. Os que moram em São Paulo ou Nova Iorque têm saída. Cidades que nunca dormem. O resto tem que se virar. Você procura um trailer, um bar, uma pastelaria, mas àquela hora? Você chega em casa. Amigo, prepare-se para sujar a louça. Há relatos de pessoas que prepararam até Arroz Carreteiro às cinco da manhã. Tudo por conta do Fomão.
CASO DOIS – Sua noiva, namorada, amiga “ficante” (ou sei lá eu o quê) já vinha com uma conversinha mole de que queria introduzir você na culinária da Indonésia. Os dias passando, ela começa a falar de raízes e insetos, destacando o “enorme valor nutritivo de um gafanhoto”. Você vai ficando premido pela situação, a mulher pressionando. Um dia, você vai buscá-la na faculdade e ela lhe aparece acompanhada por aquele colega “junkie”, “bicho-grilo” do qual ela tanto tem lhe falado. Oi, amor, o John Lennon também gosta de comida da Indonésia – ela lhe diz em altos brados. Sim, o nome do cara é John Lennon. E ele gosta de comer gafanhotos. E pelo jeito está pensando em fazer o mesmo com a sua namorada. Naquela noite, você, a mulher e o Johny (vocês já estão ficando íntimos) saem finalmente para a tal janta oriental. Depois de ter que sentar no chão, meter seus dedos nos pratos (não lhe deixaram usar talher), comer algumas gosmas melosas, você pede uma cerveja, mas o garçom, em tom irritado, lhe oferece apenas um suco de couve com folhas de mostarda. O amigo da sua namorada/mulher come avidamente toda uma série de bichinhos nojentos, ao que sua garota dá gritinhos de alegria e pede um pedacinho. O Lennon coloca pedacinhos de lagartas temperadas na boca da moça e então você atinge o seu limiar. CHEGA!! – você brada. Após mandar o John Lennon enfiar as taturanas numa certa parte do corpo dele, após citar a conduta imoral da mãe e das irmãs do garçom, após, enfim, mandar sua mulher/namorada para o raio que a parta, você chuta o balde, levanta, calça seus sapatos de volta e sai porta afora. Voltando para casa com toda essa GANA no coração, você passa na frente de uma famosa CHURRASCARIA. E ela está aberta. Amigo, mande avisar o assador. O Fomão deu sinal de vida e você vai comer toda uma boiada. Sem asinha de mariposa.
CASO TRÊS – Você teve um dia cheio no trabalho. Tudo que podia dar de errado aconteceu, mas as horas passaram e enfim, você pôde ir embora para casa. Lá chegando, já de tardezinha, você percebe que a faxineira ainda não foi embora, e está justamente limpando a cozinha. Paciência. Quando a bendita mulher se despede, chega um colega de aula do seu filho que veio buscar um livro. Seu filho o recebe ali na mesa de refeições, você tentar dar uma chegadinha na área, mas ele pede privacidade, que o tal colega já está saindo. Uma hora depois o guri vai embora. Você tentar chegar na geladeira mas ouve um estrondo na esquina e falta luz. Há uma certa bagunça na casa, todos procurando velas e lanternas. Como o chão da cozinha foi limpo naquela tarde, você fica com pena de sujá-lo no escuro. Onze da noite, enfim volta a luz. E com ela chegou esta entidade, este estigma, este ser que domina o seu pensamento e a sua vontade. Pronto, amigo(a), mate o Fomão. Liquide com ele. Forneça-lhe uma, duas, três pizzas descongeladas, dilua-o em copos e mais copos de coca-light. Afogue-o em colheradas de mousse de maracujá. Trucide-o com pedaços de Cocada Branca que você sabe que lhe darão azia mais tarde, mas o prazer vale a pena. Sim. Isso é o Fomão.
Sabedores disso, da força dele, de seus poderes destruidores, todos poderemos nos precaver. De duas formas. Ou colocamos cadeados na geladeira e na despensa....ou abastecemos a despensa e a geladeira como se o mundo fosse acabar. Decida você a sua estratégia.
Eu........já escolhi a minha.
Silvano – o impossível


SOBRE O “TROPA DE ELITE”
Recebi pedidos de leitores sobre o link para “baixar” o filme “Tropa de Elite”, sucesso nacional. Os que me mandaram não deram certo, os sites foram desativados ou não dão acesso ao filme. Mas fique tranqüilo, dia doze de outubro estará nos cinemas.


PASSO A PASSO
Aguarde para os próximos dias mais uma edição de um dos nossos “Passo-a-passo”. Será uma receita simples, fácil, mas por demais gostosa. E tentarei ilustrar a matéria com fotos. Nos próximos dias.


04/10/2007

2 comentários:

Rosalva Rocha disse...

Complementando:
CASO QUATRO: "Você sabe que está com 8 quilos a mais. Resolve fazer uma dieta básica ( café da manhã normal, com pão e tudo, no almoço 2 bananas, no meio da tarde 1 maçã e à noite mais 1 maçã ). Lá pelas 23h30m, esperando para ver o Jô, já deitada, o corpo começa a tremer ... é o FOMÃO !!! Fazer o quê? Se a geladeira não estiver com cadeado, "engolí-la" por inteiro ... dormir, rezando para que no próximo dia o "ato em sí" seja esquecido.

Caletti disse...

Olhando este passo a passo me veio a cabeça um livro com o titulo "um livro perigoso para meninos" ali mostra passo a passo algumas coisinhas que faziamos e nao fazemos mais pq? Sei lá pq, acho que é pelo que a Rosalva falou, estamos mais pesadinhos, imagina hoje fazer um carro de lomba??? pra 100 kilos rsss e a casa na árvore? 4 "guris" 400 kilos rsss, mas fica a dica pra quem tem filho e queira iniciálo na arte da criatividade, dedo martelado, cotovelos e joelhos pisados, galos na testa etc. Se nõs sobrevivemos a todas estas catástrofes.... eles sobreviverão também. Caletti o sobrevivente..... abraços