18 outubro 2007

Coisa de Gordo - 346


346 – CAMBARÁ DO SUL
Como comentei no último “post”, encilhamos o cavalo e subimos a Serra. Na verdade é uma outra serra. Quando se fala em Serra Gaúcha as pessoas lembram de imediato de Gramado, Canela, Bento e Caxias. No nosso caso fomos um pouquinho mais para o lado do mar.
A cidade de Cambará do Sul é pequena, incipiente, acolhedora, fiquei sabendo que são apenas sete mil habitantes. Quase um vilarejo. Acostumados que somos a outros destinos mais incrementados (Gramado, por exemplo), num primeiro momento a gente estranha Cambará. Não há glamour, não há grandes produções, o que há é uma cidade e sua gente. Seus pequenos restaurantes, suas nascentes pousadas.
Estávamos no meio da tarde e pedimos um lugar para tomar um café, lanchar, enfim. Nos foi indicado o CAFÉ & CIA. O prédio é antigo, mas está situado na principal esquina da cidade, o que o faz ser facilmente encontrado. Olhamos por fora, meio desconfiados, será que é isso aqui? Era. Entramos e nos acomodamos naquela espécie de saloon do velho oeste. O serviço foi gentil e ágil, as coisinhas servidas nos encantaram. Sanduíches de salame e queijo colonial, torradas, fatias de tortas doces (maracujá e maçã) desfilaram por nossa mesa. Aliás, a tal torta de maçã protagonizou uma coisa interessante. A atendente meio que se desculpou pela demora alegando que a torta de maçã recém havia saído do forno, estava muito quente. A sra Kátia cresceu o olho e disse à mulher que agora mesmo é que ela tinha que trazer a torta de maçã para nós. E veio fumaceando, incandescente, saborosa, deliciosa, apetitosa. Ao pagar a conta, levávamos um pacote com o resto da torta para deleite no hotel, durante a madrugada.
Percebe-se uma coisa em Cambará. Ela é como se fosse Gramado....trinta anos atrás. Teria que se buscar o prefeito de Gramado lá de três décadas atrás e fazer um curso junto aos empresários, políticos e habitantes da cidade. Os restaurantes são pequenos, mas já começam a alçar vôos maiores, oferecendo degustação de vinhos, cartas especializadas de vinhos e sobremesas, massas caseiras, um serviço mais gabaritado. Jantamos no CASARÃO, já citado no “post” de terça-feira passada, o que muito me impressionou.
E ainda não cheguei ao principal da cidade. As atrações turísticas são mundialmente conhecidas, o Itaimbezinho, os Canions impressionantes, aquelas escarpas montanhosas, o Parque Nacional dos Aparados da Serra. Ali o homem se vê como grão de areia, diante das mãos da natureza.
Ao redor de Cambará já tem muito hotel e hotel-fazenda aproveitando tais atrações. Há acomodações de luxo, programas com direito a Ofurô e caminhadas ecológicas. O Hotel Casa da Montanha, de Gramado, tem uma “filial”, um posto avançado lá no caminho do Itaimbezinho. Estando na cidade, volta e meia passa uma camionete com a grife deles cheia de hóspedes que, embarrados, estão voltando de algum passeio, alguma trilha.
Há um portal para as coisas da cidade. Acesse: http://www.cambaraonline.com.br/
Ficamos na Pousada Pôr-do-Sol (54 – 32511290), agradável ambiente, preços acessíveis. Como costumo dizer, a gente tem por padrão de hotelaria os hotéis e pousadas de Gramado. Em Cambará é mais simples, a coisa está recém se equipando. Nesta pousada Pôr-do-Sol fomos carinhosamente recebidos, o serviço é atencioso, as acomodações têm um certo conforto, alguns quartos com umas coisas, outros ainda sem. Há aquecimento de calefação nos quartos (a gás). O café da manhã é saboroso (pães, frios, café, iogurte caseiro, bolos e tortas). Mas com certeza tem que melhorar! Tem que incrementar. Colocar mais coisas nos quartos. Ampliar. E o legal é que está sendo ampliado.
Enfim, suba a serra e mergulhe em Cambará. Deve-se ir a Taquara, aí sobe pela RS-020 até São Francisco de Paula. Dali, sobe-se até Cambará (mais 67Km) pela mesma RS-020.
Nos vemos nas escarpas.
Silvano – nas alturas


SABE POR QUE FOMOS ATÉ LÁ?
É que eu tinha Palestra no Centro Espírita local, onde fomos afetivamente recebidos pelos trabalhadores e pela assistência. Como diz o Anonymous Gourmet: - Voltaremos!


LEITORA ME AVISA QUE A PLAYBOY...
....não tem apenas as fotos da Mônica Veloso. O entrevistado é o DIOGO MAINARDI. Agora fiquei em dúvida a respeito das vendas estupendas da revista. Acho que não é só por causa das fotos. Acho que não é...

18/10/2007

1 comentários:

Caletti disse...

Ó grande e volumoso "companheiro" rsss.
Cambará já faz parte de nosso roteiro de aventuras desde 1991, onde pela primeira vez fomos de moto e outras vezes de Jeep, pois não existia estrada boa naquelas redondezas.
Realmente é um lugar muito interessante, mas o mais são as pousadas no interior da cidade, onde se pode fazer todo tipo de ecoturismo e turismo radical, inclusive passeio em Land Rover.

Fica a dica, carnaval é sempre bom e não é lotado e mais, os preços são mais acessíveis nesta época. Pq, frio lá faz inclusive no verão.

Os canyons são realmente a maior atração de tudo, mas aconselho fazer caminhadas regularmente para enfrentes os passeios.

Abraços


Caletti - sempre disposto a ir de moto ou jeep prá lá.