11 outubro 2007

Coisa de Gordo - 345


345 – AMOR D’ALÉM MAR
Nosso leitor James percebeu a poesia aqui ao lado e me mandou um e-mail falando da Florbela Espanca, esta poeta (poetisa?) portuguesa que teve esta poesia musicada pelo Fagner. Ao responder-lhe a mensagem, comentei com ele um sentimento de orfandade que me tem surpreendido nos últimos anos. Ora, afeito que sou às letras, aos livros, aos escritos e manuscritos, tenho descoberto nas minhas últimas incursões pérolas e mais pérolas da cultura literária PORTUGUESA. E quando falei em orfandade comentei com o James que fomos alijados, excluídos desse aprendizado. Parei para pensar e disse a ele que conheci a obra do Fernando Pessoa já nos tempos da faculdade. Talvez tenha me equivocado, devo ter estudado o Pessoa no Cursinho. mas a indignação continua a mesma.
Por que não se estuda literatura portuguesa aos tempos do colégio? Gosto de Gonçalves Dias, cito Cruz e Souza, declamo Casimiro de Abreu, me excito com Augusto dos Anjos, mas por que não nos foi mostrada a rica literatura portuguesa?
Cada vez que descubro um texto, uma poesia e vou atrás do autor, acabo entrando no maravilhoso estudo da arte literária portuguesa e lá descubro sentimento, dor, alegria, uma qualidade inatacável. Os autores são pessoas destacadas, têm histórias de vida que por vezes valeriam uma novela ou mini-série da Globo.
Tenho um amigo que mora em Portugal e já o andei incomodando ao tempo em que andei “de caso” com o JOSÉ RÉGIO, autor do Cântico Negro e outras preciosidades. Pedi a este amigo que conseguisse livros do José Régio, ele teve que ir atrás, me contou que o Régio é uma celebridade naquele país, sua casa virou museu, o cara é nome de rua, praça, etc. E veja que ele morreu recentemente, apenas em 1969. Podemos dizer que é um poeta contemporâneo.
Agora entrei por outros caminhos e fui buscar justamente a autora desta bela poesia aqui ao lado (Minh’alma de sonhar-te anda perdida...) e cheguei à biografia de uma mulher chamada FLORBELA ESPANCA (1894 – 1930). O nome já é um arraso, nem parece nome de poeta. A mulher teve uma vida toda dramática, entre casamentos de conveniência e separações, idas e vindas. Num dos trechos está relatado que num dado momento ela estava casada com um cara e ele, sob as vistas da esposa, passou a se relacionar com ninguém menos que a EMPREGADA DOMÉSTICA deles. Os dias se passaram, o cara acabou deixando da Florbela e foi embora com a empregada! Essas e outras passagens acabaram moldando o estilo dessa bela poeta portuguesa. As coisas que ela escreve têm um quê de sofrer, de dor, de mágoa, de solidão. de angústia. Para completar, o pai dela era fotógrafo e incentivador na nascente arte do cinema, o que faz com que haja inúmeras fotos e imagens da Florbela. Não foi reconhecida em vida e após a morte (suicídio) ficou como uma autora maldita, até que (adivinhe quem?) José Régio e outros dois autores (Jorge de Sena e Vitorino Nemésio) resgataram a memória e o real valor desta mulher. Sem julgamento à sua vida pessoal.
Nesses tempos em que todos andam pedindo cidadania italiana (como o Lula), alemã, americana, etc, a mim só resta olhar para minhas raízes lusitanas e, quem sabe um dia, lá pedir cidadania (até rimou). Nossa pátria mãe possui uma vasta produção artística-literária que cada vez mais me seduz. Falam em re-introduzir o latim nas escolas. A filosofia já voltou aos currículos. Eu de minha parte gostaria de ver colocada nos quadros negros das salas de aula apenas uma matéria: LITERATURA PORTUGUESA. De Portugal. Com certeza.
Silvano – o impossível


OS DEPUTADOS GAÚCHOS QUE APROVARAM DE NOVO A CPMF
Houve a segunda votação para aprovar a CPMF, e os vendilhões gaúchos que foram comprados pelo Lula e aprovaram a CPMF sucumbiram de novo. Aprovaram. Azar nosso! Nem vou colocar a lista aqui de novo, para não ficar enfadonho. Mas a ACLAME (associação da classe média) já está pondo os out-door com as fotos e nomes dos vendidos. Fica apenas uma lembrança para a comunista Manoela, deputada federal, que veio ao Estado para criticar o aumento de impostos da Yeda, mas lá em Brasília aprovou a CPMF. Esses comunistas....



LEITOR MANDA DICA DE LIVRO
Silvano, olhando este passo a passo me veio à cabeça um livro com o titulo UM LIVRO PERIGOSO PARA MENINOS. Ele mostra passo a passo algumas coisinhas que fazíamos e não fazemos mais. Por que? Sei lá porque, acho que é pelo que a Rosalva falou. Estamos mais pesadinhos, imagina hoje fazer um carro de lomba??? Para 100 kilos (rsss). E a casa na árvore? Quatro "guris" daria 400 kilos (rsss). Mas fica a dica para quem tem filho e queira iniciá-lo na arte da criatividade, dedo martelado, cotovelos e joelhos pisados, galos na testa etc. Se nós sobrevivemos a todas estas catástrofes.... eles sobreviverão também. Abraços. Caletti o sobrevivente.....


QUER DAR UMA OLHADINHA NA VIDA DA FLORBELA?
Então acesse este link e se delicie: http://www.prahoje.com.br/florbela/?page_id=2

Quer mais? Acesse: http://www.mulheres-ps20.ipp.pt/Florb-Espanca.htm


11/10/2007

1 comentários:

Claudete disse...

Olá Silvano,boa tarde!
Para mim foi uma grata surprêsa a foto e poesia da minha poeta preferida!
Adorei o seu comentário,ela não é tão bem falada em Portugal como aqui!Acho que somos pessoas mais complacentes com erros alheios,(o que não acontece lá)sabemos separar as coisas e damos o valor que ela merece como poeta maravilhosa e pessoa tão sofrida.
Estive em Évora e visitei o colégio onde ela estudou.
Mas quando perguntava para saber mais sobre ela,os portuguêses se esquivavam e não respondiam.
Pelo jeito a censura e a vergonha são maiores do que o orgulho que certamente deveriam ter.
Abraços e um ótimo fim de semana
Claudete